(41) 3244-6844 | FALE CONOSCO

Notícias

Do dia

A FEPASC incentiva adoção de compliance por meio de projeto-piloto

13.08.2018

A FEPASC tem como missão evoluir rumo à inovação, guia norteador das diversas ações da entidade. Nesse sentido, a Federação tem um espectro muito grande de serviços prestados em prol dos associados. Tudo para fazer cumprir a visão da Federação, que é ser referência no apoio e viabilização do ambiente de negócio das empresas para que possam acompanhar as tendências do segmento e do mercado.

Para isso, diversas ações são realizadas, entre as quais destacam-se defender os interesses e direitos das empresas, buscar permanentemente a melhoria do ambiente empresarial, com ações simples, objetivas e de baixo custo, bem como representar as empresas perante o poder público, em questões de interesse comum das empresas do segmento.

Por isso, no dia 25 de julho a FEPASC organizou o Ciclo de Palestras de Compliance,  no auditório do ISAE/FGV, apoiadora do encontro. Na ocasião, a Federação trouxe três palestrantes para discutir o tema compliance, que é um modelo moderno, ético e transparente para a gestão das empresas. Esse trabalho teve início em 2015, quando a FEPASC realizou seu primeiro ciclo de palestras sobre compliance com o executivo Marcos Turbay, da Ernst & Young. Desde então, a instituição vem atuando incansavelmente para aprimorar a estrutura e atender por completo esta nova realidade.

FEPASC incentiva e orienta empresas a adotar modelo

Para incentivar a adoção do compliance entre os associados, a FEPASC está liderando o movimento de dentro para fora. Com apoio de advogados e consultores, a instituição está disponibilizando seu compliance officer para sanar dúvidas das empresas e ajudá-las a entender os trâmites e etapas a seguir

“Nessa cadeia toda, acima de leis, precisamos investir na evolução do raciocínio moral, que significa como recebo e reajo aos comandos éticos. Isso vai criar uma ambiência ética que vai funcionar como um verdadeiro aliado no processo de compliance”, assinala o professor do ISAE/FGV, Antônio Raimundo dos Santos, que foi um dos palestrantes do Ciclo de Palestras promovido pela Federação das Empresas de Transporte de Passageiro dos Estados do Paraná e Santa Catarina – FEPASC– no dia 25 de julho.

Além disso, a própria instituição sai na frente ao estruturar seu próprio programa de integridade que prevê ações efetivas para que isso aconteça na Federação e desenvolva a cultura no setor. O advogado André Guskow Cardoso, que está realizando consultoria nessa iniciativa, explica que o programa-piloto que está sendo implementado na FEPASC prevê a elaboração de um código de conduta e ética, além de alterações no estatuto e treinamentos.

Case JCA para inspirar empresas do setor

Para inspirar as empresas nessa trajetória, o executivo Armando Linhares Neto, diretor de Compliance e Riscos do Grupo JCA, holding de empresas como Cometa e Viação Catarinense, mostrou o case da empresa, que implementou o compliance há um ano e meio. Acumulando experiência desde 2002 na área em organizações como Lloyds e HSBC, Linhares afirma que ter um código de conduta não quer dizer que a empresa está a salvo de ações ilícitas. Para isso, é necessário o envolvimento da alta direção e todos os colaboradores, que no grupo JCA, envolvem cerca de 9 mil pessoas, além de terceiros que respondem independentemente de dolo ou culpa. “Na JCA vamos além disso, e inclusive o nosso compliance chega a verificar a vida pregressa dos executivos que estão sendo contratados. Por isso, é importante adotar o compliance e uma política de gestão de riscos, que ajuda na tomada de decisão e o nível de tolerância da organização a riscos”, observa.

Ele considera alguns pontos relevantes no momento de implementar um processo de compliance, entre os quais estabelecer padrões de conduta aplicáveis a todos, estrutura independente de canais de denúncia para seu incentivo e especialmente tratar todos os seus ocorridos, estabelecer medidas disciplinares, além de procedimentos para pronta interrupção de irregularidades. Segundo ele, o processo de compliance tem começo, mas não tem fim, porque é um processo contínuo e que vai se incorporar à cultura empresarial. “O compliance veio para ficar e a promulgação da Lei Anticorrupção vem mostrando um amadurecimento em todas as esferas da sociedade”, conclui o diretor.

Para quem quiser saber mais sobre o projeto de compliance, basta entrar em contato com a FEPASC e agendar seu horário junto a um dos consultores.